rua paula gomes, 354 - otortobar@gmail.com - 41.30276458




É COM IMENSO PRAZER QUE DAMOS VIDA À ESSE BLOG DO BAR DO TORTO!!

AQUI OS AMIGOS E ADMIRADORES DO BAR PODERÃO FICAR SABENDO DOS EVENTOS E NOVIDADES, PODENDO PARTICIPAR COMENTANDO, SUGERINDO E EXPONDO SUAS OPINIÕES PARA QUE O NOSSO BAR FIQUE CADA VEZ MELHOR.

VEM PRÁ CÁ VOCÊ TAMBÉM!!



O torto está de volta!

Salve minha gente!
Depois de algumas semanas de férias o Magrão voltou "Com tudo" e avisa que o Torto Bar já está funcionando.
Apareeçaaa!

Férias merecidas

Minha gente,
Estou saindo de férias para descansar a cabeça e os pés, mas não demoro.
Devo retornar no próximo dia 10 de novembro, então até lá O ToRto Bar estará fechado.
Pretendo ver minha família em São Paulo e, se der tempo, passar em Pau Grande, cidade do Garrincha, para visitar alguns amigos.

Até a volta pessoal!

Magrão

E AÍ VEM ROLANDO BOLDRIN

video

Quadra Cultural traz Rolando Boldrin a Curitiba

Um dos maiores expoentes da música popular brasileira, conhecido por sucessos inesquecíveis como "Vide Vida Marvada", Rolando Boldrin realiza apresentação única em Curitiba no próximo dia 03 de setembro, no Teatro Guaíra.

Esta é mais uma iniciativa do projeto Quadra Cultural, que trabalha pela valorização da música brasileira trazendo artistas que contribuíram de forma definitiva para a formação da nossa identidade cultural.


Não deixe de comparecer, minha gente, vai ser coisarada esse show!


SERVIÇO:
Data: 03 de Setembro
Horário: 21 horas
Local: Teatro Guaíra
Valor: R$ 80,00 (No Bar do Torto preço especial, como sempre)

Liga do Bar do Torto

Fala moçada!

Essa é pra quem conhece o jogo eletrônico Cartola FC da Globo.com.

Nesse jogo você gerencia um time com jogadores da Série A do Campeonato Brasileiro, com base no desempenho real dos atletas que você acompanha durante a semana.

O Samir avisa que criou nesse jogo uma Liga do Torto Bar. Então quem quiser se reunir para discutir os resultados da rodada acesse http://cartolafc.globo.com/#!/liga/o-torto-bar

E se quiser continuar essa conversa bebendo uma gelada tem O Torto Bar !

É isso!

A trajetória musical de Elza Soares em show



Coisarada esse show minha gente. A nossa querida Janine convida para o show sobre a vida musical de Elza Soares. Para quem não sabe, ela foi esposa do Garrincha, o anjo torto que dá nome ao bar. Abaixo as informações e para quem quiser conferir tem o link para um vídeo do ensaio do grupo.

Confiram!

Show Releitura Elza Soares - Festival Teatro de Curitiba

Janine Mathias, Nego Chandi, Léo Fé, Ricardo Salmazo, Elias Fernandes,Carla Colvará,Luis Rolim e Leandro, é o grupo que enxergou na vida da guerreira Elza Soares uma ótima oportunidade para montar um projeto cheio de ousadia: uma releitura de parte da vida musical da cantora.Com direção de Olinto Simões, tendo como base o Mítico álbum de 1968, Elza, Miltinho e Samba. Não é uma simples imitação de Elza e Miltinho, mas interpretações livres, com ritmo e muito swing inspirados nesse fênomeno da música popular brasileira.


CANAL DA MÚSICA

Dias 03/04 as 15hrs e 08/04 as 21hrs http://www.festivaldecuritiba.com.br/espetaculos/view/409 INGRESSOS ANTECIPADOS NOS PONTOS DE VENDA DO FESTIVAL DE TEATRO:20 reais inteira 10 reais meia Não haverá retirada de ingressos no local do evento. SHOPPING MÜELLERAv. Cândido de Abreu, 127 – Centro CívicoHorários de funcionamento: Segunda à sábado – 10h às 22hDomingos e feriados – 14h às 20h

Quadra Cultural no Jornal do Estado



Odair José canta a noite mais linda do mundo

Agora cult, cantor faz apresentação única em Curitiba num palco montado na Rua Paula Gomes, no São Francisco

Mario Akira
Nos últimos anos o Brasil redescobriu um dos grandes cantores populares das décadas de 70 e 80. Odair José, que carregou a fama de maior cantor do brega brasileiro retornou, mas nem precisou se repaginar. Cantando as mesmas canções que venderam milhões de discos no passado ele agora é tratado pela imprensa como um artista cult, numa espécie de mea culpa dos críticos.

PRIMEIRAS IMAGENS OFICIAIS


Fernando Aguiar
www.fefeco.com


Reinaldo Bessa


Jorge Mariano / Odair José dá uma palhinha no Torto Bar tendo ao fundo Arlindo Ventura, o Magrão, idealizador do Quadra Cultural, e a vereadora Renata Bueno, umas das apoiadoras da quinta edição do evento, que levou uma multidão ao bairro São Francisco no último sábado
Odair José dá uma palhinha no Torto Bar tendo ao fundo Arlindo Ventura, o Magrão, idealizador do Quadra Cultural, e a vereadora Renata Bueno, umas das apoiadoras da quinta edição do evento, que levou uma multidão ao bairro São Francisco no último sábado

Odair José, o indecifrável. Entrevistão.

Por Cristiano Castilho para Gazeta do Povo

O incansável proprietário do bar e agitador cultural Magrão – que em breve assumirá o conselho de segurança do bairro São Francisco, problemático --, diz que a ideia é, além de promover cultura, difundir a sensibilidade em relação aos problemas do local. 
E também colocar isso em debate para que o poder público se some às ações já realizadas ali pela comunidade, principalmente em relação ao combate ao consumo de craque e à pichação. O evento terá 20 banheiros químicos, 23 seguranças e segue até as 22 horas, ao que tudo indica, na mais perfeita paz.
Este jornalista bateu um papo com Odair José, que hoje está mais para cool do que para brega. Ele citou Otto, falou sobre seu primeiro encontro com Roberto Carlos e disse que só existe dois tipos de música: a boa e a ruim. A matéria está aqui. Leia a entrevista completa na íntegra, logo abaixo. O serviço do show também está lá.

entrevista: ODAIR JOSÉ

Por Omar Godoy para a Folha de Londrina


O cantor goiano de 62 anos se apresenta em Curitiba no sábado. Segue a versão mais bruta da entrevista que fiz com ele para a (outra) Folha.

Leio por aí que os jovens universitários formam a base do seu público atual. E a audiência mais popular, deixou de acompanhar você?

Eu continuo conhecido entre o público popular e de idade mais avançada. Mas o Odair José não é mais o foco deles. No momento, são os jovens que vão aos meus shows, e eu fico muito feliz com isso. Porque é o jovem que sai de casa, não o velho.

Digo isso porque sou velho, não sou de ir para lugar nenhum. Segunda-feira agora, em Recife (no evento Rec-Beat), 30 mil pessoas ficaram debaixo de chuva para me ver tocar. Então, para mim está muito bom desse jeito.

De onde vem esse interesse dos mais novos pelo seu trabalho?

Não acho uma explicação muito adequada para isso, mas estou chegando à conclusão de que fiz uma coisa que teve qualidade. E digo isso sem pretensão nenhuma, até porque não sou desse tipo. O engraçado é que esses jovens se interessam mais pelo que produzi nos meus primeiros cinco anos de carreira.

Mas quais elementos da sua música, especificamente, você acredita que chamam a atenção dos novos fãs?

Meu som, apesar de ser simples, tem uma cara meio pop. Dentro da minha capacidade, sempre tentei fazer música de acordo com o que acontecia no resto do mundo. Sempre me interessei por rock inglês, pop americano.

Quanto às letras, acho que os jovens gostam delas porque falam do dia-a-dia da rua. Afinal de contas, eu também era jovem naquela época, né? (ri) De qualquer forma, penso que esse público me procura e me aceita porque uma nova geração de músicos fala de mim, grava minhas músicas.

Também leio que agora você é aceito pelos intelectuais. Que virou cult de uns anos para cá. Como se a sua parceria com o Caetano, ainda no começo dos anos 70, não tivesse existido...

É engraçado isso. Agora mesmo, no começo de janeiro, saiu uma matéria no jornal O Globo em que a mulher dizia assim: "A vida coloca Odair José em seu devido lugar". Mas onde eu estava, que não estava no meu devido lugar? (ri) Nunca vi o meu trabalho não ter algum tipo de reconhecimento.

O que aconteceu é que, em um determinado momento, eu não fui tão competente, atento, focado. E daí surgiu um espaço. Mas reconheço que comecei a ver minha música de outra forma nos últimos tempos. Hoje, graças ao público jovem, estou redescobrindo meu próprio repertório. E subo no palco para tocar com uma satisfação enorme.

Além de ser um cronista urbano, você também fala muito do amor. O amor mudou muito desde o começo da sua carreira?

O amor não mudou em nada, continua a mesma coisa. O que mudou é que as pessoas estão mais abertas a determinadas expressões do amor. Não é mais importante, por exemplo, você assinar um papel para provar que ama outra pessoa. O mesmo acontece com o amor entre duas pessoas do mesmo sexo.

Ainda assim, existem coisas que continuam sendo jogadas para baixo do tapete na sociedade. Como o cara que no domingo vai à missa, almoça com a sogra e, mais tarde, sai escondido com a amante. E depois ainda recrimina o filho, o vizinho ou o funcionário que tem uma postura parecida. É a famosa hipocrisia.

Eu só não acredito que amor e sexo sejam duas coisas separadas. Um puxa o outro, estão atrelados. Esses dias, estava almoçando com a minha mulher num restaurante quando entrou uma senhora enorme, pesada, com o marido. Minha mulher até comentou que eles ainda deviam se amar muito. Mas eu já acho que, além do amor, devem existir outras coisas que podem manter duas pessoas juntas. E uma dessas coisas é o sexo.

Você está prestes a lançar um novo disco de inéditas, com produção do Zeca Baleiro e colaborações de gente como Chico César, Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown. Dá para adiantar o que vem por aí?

Há dois anos o Zeca me convida para fazer esse disco. Mas eu achava que não era necessário, até porque meu repertório é muito grande. Gravei mais de 400 músicas, 30 discos. Só aceitei agora porque realmente acredito que escrevi algumas músicas boas.

Como a faixa de abertura, "Aconteceu", em que falo dos relacionamentos que surgem por acaso, na rua. Aquela coisa sem conceito e preconceito, num hotel sujo, com bebida falsificada. Ou a música que dá título ao disco, "Praça Tiradentes", que tem um arranjo na linha do Bob Dylan mais antigo, com harmônica.

Acho que esse disco me leva de volta para o Odair José dos anos 70, o Odair José da reportagem musical, que é onde eu fui melhor.
Reportagem retirada do blog O ÚLTIMO A CHEGAR

Faltam 2 dias para ODAIR JOSÉ

ENTREVISTA CBN

Sexta-feira, dia 11, véspera do evento da Quadra Cultural, o Magrão vai participar de uma entrevista na rádio CBN (90,1 FM) com novidades sobre o evento. Fiquem ligados a partir das 14:30hs e se quiserem podem dar sua opinião ligando para a rádio na hora!


CBN:
Grave suas sugestões ou críticas
(41) 3315-0901
Geral
3218-5800
http://www.cbncuritiba.com.br/site/

Faltam 16 dias para ODAIR JOSÉ



Minha gente, faltam apenas 16 dias para a próxima Quadra Cultural.
É show pra mais de metro com o queridíssimo Odair José, além de Djambi, Gente Boa da Melhor Qualidade, Super Color e Dodecafonius, sem falar nas outras atrações: desfile de moda, recital de poemas, e teatro.
é Coisarada!

Para receber o pai de “Pare de tomar a pílula” e “Eu vou tirar você desse lugar”, muitas pessoas já começaram a escrever suas mensagens, que aos poucos vão preenchendo as paredes do Torto Bar.
Escreva o seu recado e mostre que também leva no peito um coração rasgado pelo romantismo do Brega! (peça para o Magrão a papel e caneta)

Foi por um bom motivo


Na semana que passou, quando o Torto ficou fechado, muita gente se perguntou se o Magrão estava doente, com namorada nova, ou tirando alguns merecidos dias de descanso.
Nada disso. Ele estava em São Paulo acertando os últimos detalhes para a participação do músico Renato Teixeira em mais um evento da Quadra Cultural que deverá acontecer entre Agosto e Setembro de 2011.
O autor de Romaria, Tocando em Frente e outras canções que já estão entre os pilares do cancioneiro popular brasileiro vai reproduzir em Curitiba o show que realizou ao vivo em Tatuí na companhia da saudosa dupla Pena Branca & Xavantinho.
É ou não é show pra mais de metro, minha gente?

Em breve mais informações.

E não esqueçam, dia 12 de março Odair José na Quadra Cultural !!

QUADRA CULTURAL MOVIMENTA BAIRRO SÃO FRANCISCO


Nesta quarta edição, o evento traz o cantor Odair José além de diversas atrações musicais e cênicas


Como já era de se esperar, novamente a Quadra Cultural promete agitar a Rua Paula Gomes. Em 2010, o evento levou ao público As Galvão, Fabio Elias, Molungo, entre outros e reuniu mais de 2 mil pessoas. Para esta edição, estima-se um público ainda maior e as atrações serão: o cantor Odair José, Djambi, Gente Boa da Melhor Qualidade e Decafonis, além de apresentações teatrais e muito mais.

A Quadra Cultural é uma iniciativa do empresário Arlindo Ventura, proprietário do OTorto Bar, estabelecimento conhecidíssimo na cidade. O empresário objetiva levar a arte à comunidade, sempre com a preocupação de oferecer uma estrutura confiável e uma programação variada e rica em cultura. Este ano, o evento acontecerá dia 12 de março, sábado, e virá com diversas novidades.

Um desfile de moda levará as tendências e criatividade do comércio da região. O palco também estará aberto para recitais de poesias, valorizando as obras de escritores da cidade, muitos deles frequentadores assíduos do bar. Também as crianças terão sua programação com o espetáculo infantil com o grupo Filhos da Lua.

Mas o ponto alto do evento será a apresentação do cantor Odair José. Maior ídolo da música brega, o público poderá apreciar e se divertir com pérolas como “Pare de tomar a pílula”, hits dos anos 80. E a diversão não pára por aí: o Decafonis apresenta um espetáculo engraçado e bem-humorado, usando o brega como inspiração para seu repertório. Também dividem o palco o samba do Gente Boa da Melhor Qualidade, o reggae do Djambi e continuando na linha do brega o Super Cola, emplacando os sucessos do cantor Fernando Mendes.

O projeto conta com apoio do Sistema Fecomércio Sesc Paraná, da vereadora de Curitiba Renata Bueno, da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura de Curitiba .

Serviço: 
Dia 12 de março - Sábado
Horário: a partir das 14 horas
Rua Paula Gomes - São Francisco
Entrada: 1Kg de alimento não perecível

Freguesia da foto



A Yasmine passou no Torto e decidiu levar uma foto sua com o Magrão sob as asas do anjo torto.


Alôu !?

Mande a sua foto também !

O Torto pelo Mundo

Já que o Torto é frequentemente visitado por argentinos, nada mais justo do que retribuir a visita, levando a logo do bar para um passeio na terra de Gardel.

Na serra de Córdoba, na Argentina.

Avistando o monte Fitz Roy, também na Argentina.

Se você tem alguma foto sua com a camiseta, adesivo, boné, tatuagem, etc. do Torto Bar em algum lugar inusitado, mande para a gente.

QUADRA CULTURAL

Tudo começou com um sonho e a vontade imensa de levar cultura e arte à população curitibana. Foi dessa maneira que o empresário Arlindo Ventura, proprietário do O Torto Bar, lançou-se em sua mais nova caminhada: o de agente cultural, promovendo e levando manifestações artísticas dirigidas a toda família. Assim, aconteceu no dia 20 de fevereiro de 2010, o projeto QUADRA CULTURAL – ideia nascida dentro do O Torto, com uma finalidade apenas: oferecer um dia de arte na rua, apresentando diversos estilos de música no bairro São Francisco, inspirado em movimentos semelhantes que já acontecem em várias cidades do Brasil.
O próximo evento da Quadra Cultural acontecerá no dia 12 de março desse ano e tem como apresentação principal músico Odair José.
Em breve mais informações!



O Torto e a diversidade

O Torto Bar está acompanhando as discussões sobre uma suposta ação de preconceito homofóbico e decidiu se manifestar. Somos a favor da liberdade de manifestação e da diversidade, mas sem exageros. Nosso bar é um ambiente extremamente eclético e prezamos por isso, porém, combatendo os excessos. Se um casal hétero se exceder, também será repreendido, assim como se houver muito barulho na rua, brigas, entre outros, também interferimos.
O Torto Bar é e quer continuar sendo um ambiente que recebe pessoas de todos os perfis, do gari a executivo. Por pensar desta forma, tomamos o cuidado de manter um clima agradável a todos aqueles que frequentam nosso bar. Ainda assim, se for organizado um beijaço, será ótimo! Vocês terão nosso total apoio.

1 ano sem Pena Branca



Nesta quarta-feira, dia 09 de fevereiro, faz um ano que a música brasileira de raiz perdeu um de seus maiores expentes.
Ao lado do companheiro Xavantinho, que subiu para o andar de cima um pouco antes (1999), Pena Branca deixou uma lacuna na no cenário musical que dificilmente será preenchida.
Vai-se o artista, permanece a obra. Vamos pedir para o Arlindo botar para tocar umas modas da dupla nesta quarta-feira. Ê-laiá !


Túnel do tempo: Há exato um ano atrás, o Magrão estava viajando às pressas para São Paulo para acompanhar o enterro do músico, que iria fazer um show na Quadra Cultural algumas semanas depois.
Correria, tensão, mas tudo deu certo depois, com a presença das irmãs Galvão no evento, que fizeram uma bela homenagem ao amigo Pena Branca.